Todos nós temos uma família, mesmo que não seja de sangue, temos pessoas a nossa volta que estiveram connosco na maior parte de nossas vidas. Também já estamos habituados a ver outras famílias ou até mesmo as nossas serem ameaçadas e feridas. O valor da família tem sido diluído, menosprezado, e em nossos dias cada vez mais encontra-se enfraquecido. Como consequência nossa família não é o retrato de uma família feliz: filhos que não se dão com os pais, rebeldes e desobedientes; casais que divorciam-se, traição e muitas outras situações dolorosas.

Deus é o criador da família! Ele a criou para ser um lugar agradável e abençoado em todos os aspectos. A família foi projectada por Deus para ser “um porto seguro” na vida de cada pessoa. Deus está muito interessado em fazer com que nossas famílias sejam exactamente como Ele planeou, porém, o caminho para termos uma família abençoada começa em nós. O primeiro desafio para termos uma família abençoada é … 

O Desafio Pessoal 

Ao conversarmos com diversas pessoas sobre as suas famílias e problemas a maioria das pessoas coloca a responsabilidade na vida dos outros e não sobre si. O meu marido não tem jeito, meus filhos são rebeldes e etc… Porém, o primeiro passo para termos uma família abençoada é resgatar o seu devido papel na família. Você não é apenas um espectador que assiste o que acontece, mas é parte activa da família, isso serve a todos: homem, mulher e filhos. É como num estádio onde está acontecendo uma corrida, na arquibancada as pessoas que ali estão, olham para a arena, concentram-se em cada movimento dos atletas enquanto abandonam a concentração em si mesmos. Geralmente os espectadores são muito exigentes, gritam para os atletas correrem mais, para melhorarem o seu desempenho e assim por diante, mas não querem ser eles a correrem. Na família muitas vezes a situação é a mesma! Toda vez que nos concentramos nos outros automaticamente perdemos a atenção em nós mesmos e assim não executamos bem o nosso papel. Você não é o “juiz” de sua família que deve determinar se o papel de cada um está sendo realizado ou não. Deus é o juiz (Tiago 4.11-12) e é a Ele que cada um dará conta de sua vida. Deus não perguntará ao marido porque a mulher dele era preguiçosa, mas sim a mulher terá que dar contas a Deus por suas atitudes. Você não é o juiz de sua família, você é um “corredor”! As famílias precisam que os maridos sejam maridos, que os pais sejam pais, esposas sejam esposas. A sua maior preocupação para ter uma família abençoada começa em você, por isso faça bem o seu papel na família. A Bíblia diz: “Aquele que está em pé, cuidado para que não caia.” (1 Coríntios 10.12). Os acidentes em sua maioria acontecem por distracções, na família os desastres também acontecem por distracções, por isso fique atento no que você deve fazer!

Geralmente esperamos mudanças externas para então mudarmos interiormente. Dizemos: Quando os outros mudarem, então também mudarei. Sabemos que aqueles que persistem nessa postura dificilmente alcançarão uma família abençoada, pois a mudança deve começar dentro de nós. É em nossos corações a primeira mudança, onde a frustração dará lugar a esperança, onde a dúvida dará lugar a fé, onde o ressentimento dará lugar ao amor. Se entregarmos as nossas vidas nas mãos de Deus, ELE começará a fazer uma grande revolução em nossos corações, e isto será de dentro para fora. A Bíblia diz para as esposas crentes que elas mudariam a vida de seus maridos ímpios sem palavras, mas por suas atitudes (1 Pe.3.1-2). Como uma mulher magoada com seu marido consegue ainda assim tratá-lo com amor? Deus primeiro precisa tratar os nossos corações, para a partir daí, de dentro para fora mostrarmos a diferença. Podemos aplicar esse princípio a toda família, não apenas as esposas. A cura e a transformação sempre começam connosco. O simples facto de você estar lendo sobre este tema já é o brotar em seu coração do desejo de ter uma família abençoada.

Certa vez Josué estava diante de uma situação difícil, onde familiares e pessoas muito próximas estavam tomando decisões erradas: queriam seguir a outros deuses. Josué toma uma postura muito firme naquele dia e declara: “Eu e a minha casa serviremos ao Senhor.” (Josué 24.15). Precisamos tomar postura em nossas famílias! Muitos lares tem caminhado ao divórcio, ao ressentimento entre pais e filhos e muitos de nós não tomam nenhuma postura! Parece que estamos concordando com o fim de nossas famílias sem nada fazer. Precisamos ser nós a tomarmos postura e a batalharmos pela vontade de Deus em nossas famílias. Não podemos ficar esperando pelos outros, Deus pede a nós! Será que você não está insatisfeito o suficiente com sua família? Será que não tem sofrido o bastante para tomar uma postura? A solução nunca será o fim da família, mas sim o seu fortalecimento. A solução no meio da tempestade nunca é pular do barco, mas permanecer nele, remando juntos e buscando uma situação melhor. Você e eu precisamos tomar postura em nossas famílias. Não espere que alguém faça por você, faça você mesmo! É você que Deus quer usar para transformar a sua família. Lute por isso.

O primeiro grande desafio para termos uma família abençoada é o desafio pessoal. Precisamos sondar o coração e pedir a Deus que nos mostre se estamos ou não sendo os maridos, esposas, filhos segundo a Sua vontade. Muitas vezes somos críticos para com nossos familiares, mas precisamos ser críticos sobre nós mesmos. Concentre-se em você, cuide para que seu coração esteja nas mãos de Deus, pois esta será a garantia que acontecerá uma mudança de dentro para fora que fará uma grande diferença na vida de seus familiares. Deus é o maior interessado em restaurar as nossas famílias para que sejam exactamente como Ele planeou, você precisa apenas confiar nEle. Faça hoje um compromisso com Deus, de assumir a sua responsabilidade pessoal para que sua família seja em tudo abençoada.


Rev. Albert Canfield Sniecikoski



Partilhar